Vigilância em Saúde orienta sobre cuidados e a prevenção da raiva transmitida por morcegos.

A Secretaria de Saúde de Tijucas do Sul informa que um morcego não hematófago que foi encontrado caído no CMEI da Campina teve resultado positivo para a raiva. Nenhuma pessoa entrou em contato direto com o animal que pudesse indicar risco a população. A Vigilância em Saúde orienta a população para que evitem contato com as mãos diretamente com o morcego, esteja morto ou vivo. Caso um destes animais seja encontrado, a indicação é isolar o local, prendendo o morcego, com um balde, por exemplo, e acionar a Vigilância. Dessa forma, é possível evitar o contato com animais domésticos e pessoas. Em momento algum se deve tocar no animal.

A grande maioria dos morcegos encontra-se saudável e tem papel biológico importante no controle de insetos e na disseminação de sementes. Por isso, não se deve matar estes animais.

Os morcegos possuem hábitos noturnos e encontrar esses animais durante o dia já deve ser tratado como um sinal de alerta. Se forem encontrados caídos durante o dia, pode ser que estejam doentes. Nesse caso, entre em contato com a Vigilância em Saúde, assim que encontrar o animal nessas condições.

A raiva é uma infecção viral aguda que é transmitida para seres humanos a partir da mordida, lambida ou ferida causada por animais infectados. A raiva é causada por um vírus que acomete o sistema nervoso central dos mamíferos, animais e humanos, ocasionando uma encefalite (inflamação no cérebro que causa inchaço no mesmo) que geralmente evolui rapidamente. A sua transmissão ocorre pelo contato com a saliva do animal infectado durante uma mordida ou um arranhão profundo.

Além da vacina antirrábica que pode ser aplicada em crianças e adultos, a Vigilância em Saúde destaca os cuidados que devem ser tomados, como forma de prevenção contra a raiva: vacinar seus animais de estimação anualmente (cães, gatos, ovinos, bovinos, equinos e outros mamíferos) e prevenir o estabelecimento de colônias de morcegos em casas, realizando o correto fechamento de fendas que podem dar acesso aos animais. Em casos de mordeduras pelos animais lavar bem o local com água e sabão e procurar atendimento médico.

A Vigilância em Saúde encontra-se anexa à Unidade de Saúde Central e está sempre à disposição para orientação à população à respeito da vigilância sanitária e epidemiológica. Em caso de dúvidas, entre em contato através do telefone 41 3629-1523 ou 3629-1511.